12 / 04 / 2018 - 12h22
Sem alternativa? Flu mantém tática com três zagueiros mesmo sem ser atacado

O Fluminense venceu o Nacional Potosí-BOL por 3 a 0 na última quarta-feira, no Maracanã, na estreia da Sul-Americana. A partida não foi tão fácil como o elástico placar sugere. Com sofrimento, o Tricolor só abriu o placar aos 27min do segundo tempo. Em uma partida marcada pelo ataque brasileiro tentando furar a retranca boliviana, o técnico Abel Braga não abriu mão do esquema com três zagueiros.

Renato Chaves, Gum e Ibañez eram meros espectadores na partida. Tanto que se adiantaram para participar mais ativamente da troca de bola já no meio de campo. Não era raro ver um deles fazendo dupla com um dos alas Ayrton Lucas e Gilberto.

É evidente que o esquema deu certo e fez Abel Braga encontrar um time durante o Campeonato Carioca. Competitiva, a equipe teve bom desempenho no Estadual, tanto que foi bem lembrado na seleção da competição ao premiar Júlio César, Gum, Ayrton, Marcos Jr e Pedro.

Porém, o time sentiu a necessidade de uma alternativa diante do Nacional Potosi. A torcida não ficou muito satisfeita quando o técnico Abel Braga decidiu manter o esquema com três zagueiros ao fazer duas mudanças no meio do segundo tempo. O treinador sacou Jadson e Marcos Jr para colocar Matheus Alessandro e Pablo Dyego.

Apesar do chiado, as mudanças de Abel deram muito certo. Pablo Dyego deixou isso bem claro ao fazer o gol em seu primeiro toque na bola. Na segunda jogada, quase ampliou com um golaço de bicicleta. Resolveu a parada no talento individual.

Mesmo sem ser atacado pelo rival, o Fluminense manteve a forma de jogar em um esquema com três zagueiros. Seria importante criar uma alternativa para algumas situações que se apresentam em campo.


FONTE : UOL
   


Publicidade