23 / 10 / 2020 - 15h15
Para Malafaia, apoio de Bolsonaro a Russomano e Crivella foi um erro

Um dos mais importantes apoiadores de Jair Bolsonaro no meio evangélico, o pastor Silas Malafaia avalia que é um equívoco o apoio no primeiro turno do presidente aos candidatos a prefeito Marcelo Crivella, no Rio, e Celso Russomano, em São Paulo, ambos do Republicanos. O religioso diz não ter dúvida de que, se o resultado for ruim, a imagem de Bolsonaro sairá desgastada.

"O presidente tinha dito que no primeiro turno não iria vincular o nome dele com ninguém", recorda Malafaia. "Acho que ele se desgasta tanto no Rio quanto em São Paulo, que é onde ele está botando o nome".

Os dois candidatos aparecem em queda vertiginosa na última pesquisa Datafolha. Em São Paulo, Russomano perdeu 7 pontos desde o último levantamento e foi ultrapassado por Bruno Covas (PSDB), que agora lidera com 23%.

No Rio, Eduardo Paes lidera folgado com 28 %. Marcelo Crivella se mantém em segundo, com 13%, mas foi alcançado pela terceira colocada, Martha Rocha (PDT), que cresceu 3 pontos e agora também está com 13%. Diante dessa queda, é grande o temor de que Crivella sequer vá para o segundo turno.

Tanto Crivella como Russomano usam a imagem e o nome de Bolsonaro em suas campanhas, com a autorização do presidente.

Silas Malafaia acha que Bolsonaro deveria ter mantido o plano original. "Ele tinha que deixar isso para o segundo turno, quando houvesse disputa esquerda e direita. É um erro estratégico e político", critica o pastor. "Digo isso até baseado no que ele falou, que não apoiaria ninguém no primeiro turno. Acho que ele se desgasta bastante"