18 / 10 / 2020 - 15h13
Embora negue, Bolsonaro faz campanha para candidato a prefeito de BH

Embora negue, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez campanha para o candidato à prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, Bruno Engler (PRTB), em vídeo compartilhado nas redes sociais. O partido de Engler é o mesmo do vice-presidente da República, Hamilton Mourão.

"Pode ter certeza, eu não vou fazer campanha para você não, mas, se eu fosse eleitor mineiro, votaria em você. Pode ter certeza disso", disse Bolsonaro.

Um pouco depois, o presidente fala: "Pode contar comigo no que for possível. Eu não posso fazer uma campanha muito aberta para você, mas ficarei eternamente feliz se você se elegesse prefeito em BH".

Na conversa, Bolsonaro ressalta conhecer Engler há alguns anos, ter relação de amizade "muito grande" com ele e diz que seria, "com toda a certeza, uma linha direta com a Presidência da República".

O vídeo em que Bolsonaro e Engler aparecem juntos conversando foi publicado em 8 de outubro pelo candidato e compartilhado ontem pelo deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Na campanha, Engler tem se colado diretamente à imagem de Bolsonaro.

Em uma corrida antecipada visando a reeleição em 2022 e costurando uma base aliada mais confiável no Congresso Nacional, Jair Bolsonaro, sem partido desde novembro do ano passado, optou por se descolar das escolhas municipais. No entanto, já deu aval para o uso de seu nome por candidatos, em especial dos maiores colégios eleitorais do Brasil, como Celso Russomanno (Republicanos), em São Paulo, e Marcelo Crivella (Republicanos), no Rio de Janeiro.

O reforço ao apoio de Bolsonaro a Engler acontece em um momento em que o candidato conta com apenas 2% das intenções de voto e está em quarto lugar na corrida pela prefeitura de Belo Horizonte, segundo pesquisa Ibope para a cidade divulgada na quinta-feira (15).

Em primeiro lugar está Alexandre Kalil (PSD), que busca a reeleição. Em segunda e terceiro lugares, aparecem João Vitor Xavier (Cidadania) com 7% e Áurea Carolina (PSOL) com 3%.