17 / 10 / 2020 - 15h21
Por votos, candidatos a prefeito de São Paulo terceirizam horário eleitoral

Em busca de votos, os cinco candidatos à prefeito de São Paulo mais bem colocados na última pesquisa do Ibope, apesar do horário eleitoral de 10 minutos, "terceirizaram" parte de seu tempo no programa para que outras pessoas falassem e apresentassem suas ideias para a cidade.

Celso Russomanno (Republicanos), líder nas pesquisas com 25% das intenções de voto, deixou o vice, o ex-presidente da OAB/SP, Marcos da Costa, que se apresentou como "ex-cadeirante, atualmente uso prótese", falar por metade do tempo da candidatura para apresentar os planos da candidatura para acessibilidade.

Márcio França (PSB), em quarto, com 7% das intenções de voto, recorreu à médica Mariane Pinnotti, filha do médico e ex-deputado federal José Aristodemo Pinotti, para que ela contasse a história do Hospital Pérola Byington, criado pelo pai dela e unidade de excelência em saúde da mulher, para apresentar seus planos de dar "padrão Pérola" a toda rede de saúde da Capital.

Bruno Covas (PSDB), que tenta a reeleição e está empatado tecnicamente na liderança das pesquisas com Russomanno, e tem 22% das intenções de voto, recorreu a uma personagem, a condutora de transporte escolar Daniela, moradora de uma comunidade, atendida por um programa de habitação municipal. Em trecho do programa também apareceu a voz do falecido avô de Covas, Mario Covas, que foi senador, prefeito e governador de São Paulo.

Quinto colocado nas pesquisas, Jilmar Tatto (PT), que tem 4% das intenções de voto, segue se apresentando. Ele afirma ter melhorado a merenda das escolas municipais como secretário do Abastecimento e que, depois, como secretário dos Transportes, implantou o Bilhete Único. Em seguida, Lula apareceu no programa e disse que Tatto "resolve problemas".