30 / 06 / 2020 - 11h01
Levantamento: EUA têm 4% da população mundial, mas 25% dos casos de covid

Um levantamento da CNN fez recortes de como impressionam os números do coronavírus nos Estados Unidos, país que lidera por larga margem as listas de casos confirmados da covid-19 e mortes decorrentes da doença, e fez comparações com o Brasil. Apesar de responder por 4% da população mundial, o país governado por Trump tem 25% dos diagnósticos no planeta.

Mais de 125 mil pessoas morreram pela covid-19 nos Estados Unidos, com mais de 2,5 milhões de infecções pelo novo coronavírus, que começou a circular na China.

A emissora chama a atenção para o fato de os números serem altamente desproporcionais com o resto do mundo, pelo fato de os Estados Unidos terem um quarto dos casos, com uma proporção muito menor da população, com seus 4% - cerca de 328 milhões de habitantes.

A CNN compara os números com o Brasil. "O país sul-americano reportou mais de 57 mil mortes". É um pouco menos da metade dos Estados Unidos, registra a emissora, que lembra que os líderes dos dois países, Donald Trump e Jair Bolsonaro (sem partido) se recusam a usar máscaras e encorajaram a reabertura das atividades comerciais. "Bolsonaro chamou o coronavírus de "gripezinha"", lembrou a CNN.

A média de norte-americanos mortos é de 1.033 por dia desde o primeiro óbito, em fevereiro. Destas, quase 80% foram de pessoas com 65 anos ou mais. Só 3% foram menores de 40 anos.

Apesar disso, dados do CDC mostram que jovens de 18 a 29 anos representam quase 18% dos caros de coronavírus agora.

Negros morrem mais, aponta o levantamento. A taxa é 2,3 vezes maior de óbitos do que de pessoas brancas. Os negros representam 12% da população, mas são um quarto dos mortos do país.

A CNN comparou os números com mortos de guerra dos EUA. A covid-19 já levou mais vidas do que a soma dos óbitos nas guerras do Afeganistão (2.445), Iraque (4.431), Coreia (37 mil) e Vietnã (58 mil).

O mais grave, diz a CNN, é que se estima que o nível de subnotificação seja grande e que apenas 10% das mortes pelo vírus sejam contabilizadas nos dados oficiais. Isto é, pode estar se falando, na realidade, de 25 milhões de infecções.


FONTE : UOL